Como estudar em 4 etapas

 

PROGRAMAÇÃO NEUROLINGUÍSTICA PARA ESTUDAR

programacao neurolinguistica

 

Uma das formas de compreendermos a PNL é conhecermos a história da sua criação.

No início dos anos 70, Richard Bandler, um estudante de psicologia, e John Grinder, um professor de linguística, iniciaram os estudos sobre PNL na Universidade de Santa Cruz – Califórnia. Os primeiros trabalhos que realizaram foi modelarem famosos terapeutas da época, buscando identificar quais eram os padrões internos e externos que eles utilizavam que tornavam o trabalho deles tão efetivo. Esses terapeutas eram Milton Erickson, um médico hipnólogo, Virginia Satir, que atuava com terapia familiar e Fritz Perls, que desenvolveu a terapia de gestalt.

Bandler e Grinder começaram a modelar esses terapeutas, tanto na linguagem corporal (não verbal) quanto na linguagem falada (verbal), buscando desenvolver técnicas que eles mesmos pudessem replicar, elevando desta forma os resultados nos seus próprios atendimentos. Outros estudantes e pesquisadores se envolveram com este trabalho de “modelagem”, ampliando-o para diferentes contextos (negócios, artes, criação), focando em pessoas de sucesso, sempre buscando identificar quais eram os padrões que faziam a diferença nos resultados que estas pessoas alcançavam.

Observou-se alguns padrões externos, como comportamentos e linguagens específicas que essas pessoas utilizavam, que as ajudavam a realizar suas atividades com excelência e influenciavam seus resultados. Eles também observaram que existiam padrões internos, como crenças e pressupostos, que eram poderosos recursos para o alcance do sucesso.

Ou seja, por trás dos nossos comportamentos existe uma estrutura interna de pensamentos e emoções que impactam diretamente as nossas ações e consequentemente os resultados que alcançamos em nossas vidas.

Usando os princípios da PNL é possível descrever qualquer atividade humana de maneira detalhada que permite a realização de muitas mudanças profundas e duradouras,rápida e facilmente.

O que a PNL traz de realmente novo é a habilidade de analisar  sistematicamente as pessoas e experiências excepcionais de modo que elas possam tornar-se amplamente disponíveis para outros.

Por trás de toda ação existe uma razão, um motivo para agirmos. Se buscamos gerar uma mudança no comportamento de uma pessoa, ou seja, na sua atuação, precisamos compreender primeiramente o motivo da pessoa agir da forma que age, o modelo de mundo dessa pessoa, o que chamamos de modelos mentais.

Segundo Peter Senge, modelos mentais são “pressupostos profundamente arraigados, generalizações, ilustrações, imagens ou histórias que influem na nossa maneira de compreender o mundo e nele agir”. Em outras palavras, são os modelos mentais de cada indivíduo que definem como o mesmo irá perceber o que está acontecendo a sua volta, como irá se sentir com isso, como ele pensa e, finalmente, como irá agir.

O problema que encontramos, referente aos nossos modelos mentais, é que a maioria é inconsciente, ou seja, não sabemos que possuímos um determinado modelo mental e isso faz com que muitas vezes ajamos de determinada maneira sem nem saber exatamente o motivo.

A PNL permite compreender melhor nosso funcionamento interno, identificar nossos modelos mentais, para que possamos questioná-los, refletir sobre os mesmos e se é preciso ressignificá-los.

Esse aspecto é que influenciou o surgimento do nome “programação”, pois a PNL sugere que a partir das nossas histórias, experiências, valores, somos programados a ter determinadas crenças e modelos mentais que impactam diretamente o nosso comportamento. Da mesma forma, que a partir de técnicas e ferramentas podemos “reprogramar” a nossa estrutura interna com foco nos resultados que queremos alcançar.

 

Modelos Mentais favoráveis ao Estudo

 

E quais seriam os modelos mentais favoráveis a quem pretende estudar de maneira eficiente?

Aqui divulgarei o modelo mental que utilizo porque na minha opinião e pelas observações que fiz em estudantes eficazes é o ideal para alcançar a excelência no estudo.

No entanto, você leitor deve fazer as suas observações em pessoas que conheçam e que estejam obtendo resultados favoráveis. Em seguida deve aliciar (copiar, extrair) as estratégias mentais destas pessoas para então criar o seu modelo mental ideal para os estudos.

Evidentemente que para conseguir fazer isto terá que se apronfundar um pouco mais nos estudos sobre a programação neurolinguística porque aqui não pretendemos ensinar isto. Não é nosso objetivo ensinar estudantes a aliciar estratégias mentais (modelos mentais) de estudantes de sucesso.

No final do artigo divulgaremos algumas fontes de consulta onde o leitor poderá iniciar a sua especialização no assunto se assim o desejar.

Na PNL o ato de aliciar ou copiar modelos mentais das pessoas que são excelentes em determinada coisa que queremos igualmente fazer com a mesma excelência chamamos de MODELAR. É o que se denomina MODELAGEM DA EXCELÊNCIA.

A modelagem da excelência começa com a modelagem das crenças da pessoa. É possível modelar as crenças de uma pessoa bem sucedida lendo suas autobiografias, por exemplo. As livrarias estão fervilhando de respostas para as perguntas sobre como conseguir praticamente qualquer resultado que queira.

Para estudar então leia os livros, por exemplo, de William Douglas, Felipe Lima, etc. Verifique em que eles acreditam que os fazem ser bons no ato de estudar.

Aqui vou agora divulgar as crenças que encontrei.

Pra mim, toda pessoa que estuda com eficiência:

  • Tem interesse extremo no assunto que está estudando;
  • Quando não está cansado, não tem sono e nem preguiça em estudar;
  • É ativo na leitura, faz questionamentos ao texto que lê.
  • Elabora Mapas Mentais, memoriza-os com entusiasmos e tem prazer em fazer repetições espaçadas do material estudado. Sente-se bem e feliz em fazer desta forma todos os dias.
  • Pensa que tudo acontece por uma razão e um fim, e isso já serve.
  • Acredita que não há essa coisa chamada fracasso. Há somente resultados.
  • Qualquer coisa que acontece, assume a responsabilidade.
  • Acredita que não é necessário entender tudo para ser capaz de usar tudo.
  • Acredita que as pessoas são os seus maiores recursos. (senso de equipe).
  • Acredita que estudar e trabalhar é prazer.
  • Tem confiança em seu sucesso.

Identificadas as crenças de uma pessoa que estuda de maneira eficiente, precisamos agora dirigir nosso cérebro para que isto aconteça de maneira igual conosco.

 

DOMINANDO SUA MENTE: COMO DIRIGIR SEU CÉREBRO.

 

É necessário agora aprendermos a mudar nosso estado mental. Como mudamos de um estado de tristeza para um estado de alegria e satisfação? Como isto ocorre em nossa mente? Como mudar nossos estados a fim de poder conseguir o que queremos?

Mudando nossos estados, mudamos nossas ações e assim os resultados que conseguimos em nosso corpo – tudo em questão de momentos.

A PNL olha para a estrutura da experiência humana, não para o conteúdo. Não importa o que aconteceu. O que importa mesmo é como você junta em sua mente o que aconteceu.

Qual a diferença entre como você produz o estado de depressão e o estado de êxtase ou felicidade? A principal diferença é a maneira como estrutura suas representações internas.

“Nada tem poder algum sobre mim além daquilo que permito por meio de meus pensamentos conscientes” Anthony Robbins.

Estruturamos nossas representações internas por meio de nossos cinco sentidos – visão, audição, tato, gosto e olfato. Na verdade pelas três maiores modalidades: a visão, a auditiva e as mensagens cinestésicas.

Quando queremos mudar visamos mudar o que sentimos (nossos estados) e como nos comportamos quando estamos sentido aquilo.

Podemos então mudar o nosso comportamento e assim mudamos o que estamos sentindo.

Na PNL a proposta é fazer o inverso, procuramos mudar o que sentimos (o que representamos para nós em nossa mente) e assim entramos em um processo de mudança do comportamento.

Muitos de nós temos certas chaves dentro de nossas próprias mentes, que acionam nosso cérebro para responder de uma maneira particular. Por exemplo, algumas pessoas acham que retratar alguma coisa como sendo muito, muito grande motiva-as grandemente. Chamamos isso na PNL de submodalidades.

Quase todos nós temos certas chaves de submodalidades que acionam respostas imediatas dentro de nós. Uma vez que descobrimos as diferentes maneiras como representamos as coisas e como elas nos afetam, podemos  nos encarregar de nossa própria mente e começar a representar coisas de uma forma que nos fortaleça, mais do que de uma forma que nos limite.

Evidentemente que em um artigo não será possível explicar detalhadamente os procedimentos mentais a serem realizados pelo estudante para que esteja pronto para estudar com eficiência e rapidez em questão de segundos!

Indicamos aqui a leitura e o aprendizado atento do capítulo “Dominando sua mente: como dirigir seu cérebro” do livro “Poder sem Limites” do Antony Robbins, onde ele explica detalhadamente como fazer para modificar seu estado mental para o estado ideal, e você então utiliza esta técnica para estudar com rapidez e eficiência.

Faço isto constantemente e tenho obtido muito sucesso na atividade de estudar, ficando horas e horas estudando sem perder a motivação e nem ficando cansado.

Realmente vale a pena estudar programação neurolinguistica e utilizar estes conhecimentos e técnicas para obter um estado mental de excelência no momento em que vamos estudar.

Fontes de estudo:

  1. Robbins, Anthony. Poder sem limites: o caminho do sucesso pessoal pela programação neurolinguística. Editora BestSeller;